Objetivo

Apresentar e discutir as melhores técnicas para aumentar a eficiência no consumo de combustíveis por Frotistas e Embarcadores, a fim de reduzir custos nos transportes de cargas e de passageiros e também as emissões ambientalmente nocivas.

A melhoria do desempenho energético das frotas do País, responsáveis pela maior parte do consumo de derivados de petróleo, constitui objetivo da maior prioridade, pois vai ao encontro da Política Nacional de Mudanças Climáticas – PNMC (Lei 12.187 de 29/12/2009) criada para incentivar a economia de baixo carbono, e a Política Energética Nacional (Lei 12.490, de 16/09/de 2011) para  melhorar a economicidade dos transportes.

O evento

A realização do segundo Seminário Internacional Frotas & Fretes Verdes responde a uma recomendação dos participantes do primeiro evento, realizado em dezembro de 2012, e incorporará alguns aperfeiçoamentos então sugeridos. Serão examinadas tecnologias e práticasque aumentem o desempenho da frota existente e discutidas ações que sinalizem e induzam esses resultados em curto e longo prazo.

O F&FV 2013 examinará ações focadas na redução do consumo no transporte rodoviário, tais como: melhoria na aerodinâmica dos veículos; uso de pneus com menor resistência de rolamento; emprego de novos materiais que reduzem o peso dos veículos; monitoramento do desempenho dos veículos; treinamento de motoristas e coordenação de transportes para propiciar a obtenção de fretes de retorno e transferência modal. Todas essas ações geralmente propiciam retornos econômicos quantificáveis, mas, no entanto, seus custos também serão examinados.

Pano de Fundo

A principal destinação dos combustíveis derivados do petróleo é o atendimento das necessidades de transportes do País. Essa demanda tem aumentado mais rapidamente que o crescimento da economia e pode ser atendida: 1) pelo lado da oferta, prospectando novas fontes, ou 2) pelo lado da demanda, reduzindo o consumo ou sua expansão, mediante o aumento da eficiência energética nos transportes.

Para alcançar esse objetivo sustentável, são necessárias medidas de governo que assegurem a boa conservação das estradas, estímulos ao transporte público, fixação de padrões de eficiência para motores e qualidade dos combustíveis, tendo em vista a eficiência no consumo e o volume de emissões, além de estímulo aos modos mais eficientes que, em um país com as dimensões continentais do Brasil, significa mais ferrovias e transportes aquaviários.

Políticas públicas, no entanto, só acarretam resultados em longo prazo. Assim, é fundamental priorizar e aperfeiçoar ações junto às frotas com resultados mais rápidos e economicamente atraentes para seus proprietários e operadores. O evento focalizará as frotas de veículos onde seja possível implantar novas práticas e procedimentos com retornos econômicos, assim como as empresas contratadoras de frete que percebem a necessidade de uma logística sustentável, comprometida com a redução de emissões e custos.

A política energética do País, de um modo geral, está mais bem estruturada para atuar no lado da oferta, onde há poucos players. No entanto, a atuação junto à demanda tem resposta mais rápida e ajuda a reduzir imperfeições de mercado, tal como foi, por muitos anos, o uso abusivo da mão de obra despreparada, uma das principais causas de acidentes rodoviários.

No Brasil foi priorizado o modo rodoviário para o transporte a longas distâncias, em que o consumo de energia por tonelada transportada é o mais elevado e, nas cidades, o transporte individual de passageiros no lugar do público. A Matriz Energética Nacional da EPE/MME mostra que a energia destinada para transportes, medida em toneladas equivalentes de petróleo, supera o consumo da energia elétrica no País.

Local

Royal Tulip Rio de Janeiro
Av. Aquarela do Brasil, 75
São Conrado
Rio de Janeiro – RJ – Brasil
(21) 3323-2200